domingo, 12 de novembro de 2017

Taça de Portugal CX #1 - Águeda

Foto: UVP-FPC
Inicialmente previsto para Vouzela, mas posteriormente alterado para Águeda devido à tragédia dos fogos florestais que assolaram a região centro do país, a Taça de Portugal de Ciclocross arrancou debaixo de forte nevoeiro e frio, num circuito desenhado no novo Bike Park de Águeda.

A prova não começou da melhor forma para mim, que não evitei uma queda algo violenta ainda durante o reconhecimento ao percurso, que deixou algumas marcas no corpo, mas naquela altura era tempo de pensar na corrida que se seguia...

Foto: UVP-FPC
Parti bem para a corrida, rodando numa primeira fase na terceira posição e a tentar perseguir o Ruben Nunes e o Afonso Ferreira que seguiam na frente, mas entretanto fui alcançado pelo Pedro Marques que vinha a andar bem na recuperação depois do arranque.
O Pedro passou e naquela fase não consegui seguir no ritmo dele, recuperando no entanto algum terreno nas ultimas duas voltas, mas já tarde de mais para o alcançar e assim fechei a prova na quarta posição.
Parabéns ao Rúben pela vitória e ao Afonso e ao Pedro pelos pódios.

Foto: UVP-FPC
Acho que acabei por "salvar" bem o fim de semana, tendo em conta tudo o que se passou, consegui andar na luta pelo pódio e, bem vistas as coisas, até foi o melhor inicio de Taça de Portugal de CX dos últimos três anos, pois em 2015 nem sequer corri na primeira prova por estar doente e no ano passado tive uma prova condicionada por problemas mecânicos na bicicleta... Assim sendo, siga para a próxima, que será já no próximo sábado, em O Rosal, a contar para a Copa Galícia de Ciclocross.


Classificação Master 30


domingo, 5 de novembro de 2017

Open Sentir Penafiel CX #2 - Santiago

Foto: Joaquim Amândio Santos
A época de Ciclocross começa a entrar em "velocidade de cruzeiro" com corridas todos os fins de semana.
Desta vez a viagem foi curta. Corremos em Santiago de Sub-Arrifana, a segunda prova do Open Sentir Penafiel, num circuito onde faço alguns dos meus treinos durante a semana e onde voltei a vencer um cross.

Foto: Joaquim Amândio Santos
Apesar das ameaças da chuva durante os dias anteriores, a água que caiu não foi em quantidade suficiente para deixar o piso pesado e com o sol que se fez sentir no domingo, tivemos mais uma corrida disputada a grande velocidade.
Arranquei mal, mas ainda durante a primeira parte da volta inicial consegui alcançar a frente da corrida, liderada nessa altura pelo Rúben Nunes que vinha de uma vitória na Capela no arranque deste Open. Chegado à frente, tentei impor o meu ritmo e aos poucos fui abrindo distancia para o Ruben e a restante malta que perseguia.
Sem cometer erros nem excessos, acabei por conseguir vencer a corrida, o que obviamente me deixou bastante contente, para mais num evento onde sinto sempre grande carinho por parte de quem vai assistir à corrida.

Foto: Virgínia Rodrigues
Entretanto na luta pelos lugares do pódio formou-se um grupo de seis ciclistas, entre eles dois espanhóis que atacaram já na ultima volta, com o Constantino Muñoz a ser segundo e o Juán Chapela terceiro.

Com estes resultados, ascendi à liderança do Open Sentir Penafiel em Ciclocross na categoria Master 30, com mais vinte pontos que o Rúben Nunes.

Tudo se decide quanto a este troféu no dia 28 de Janeiro, em Castelões, onde se realizará a ultima prova desta competição.

Entretanto, já no próximo domingo arranca em Águeda a Taça de Portugal.


Classificação Master 30


Vídeo do Evento


domingo, 29 de outubro de 2017

Open Sentir Penafiel CX #1 - Capela

Finalmente chegou o inicio da temporada de Ciclocross em Portugal e como tem sido hábito nos últimos anos, coube ao Open Sentir Penafiel essa abertura de época, nesta que é a terceira edição do troféu.

Assim este ano arrancamos no Parque de Merendas de Capela, num circuito marcado por uma primeira parte mais rápida e fluída e uma segunda mais técnica no interior do parque.

Alinhamos cerca de trinta atletas, para uma corrida disputada num circuito com piso completamente seco, duro, rápido e até com algum calor, onde desde a primeira volta tentei andar perto da frente da corrida, que foi liderada desde o arranque pelo Campeão Nacional Ruben Nunes.
No final das seis voltas fechei a prova na segunda posição, a seis segundos, tendo o pódio ficado completo com o Manuel Lopes.

Foi uma corrida bonita e foi bom sentir o apoio de toda a gente que estava a assistir à prova.

A próxima é já este domingo, dia 5, no parque de lazer junto ao rio Sousa, em Santiagode Sub Arrifana.

Galeria de Fotos

Classificação Master 30



Vídeo do evento

domingo, 8 de outubro de 2017

Taça Regional Porto XCM #4 - Sanguedo - 7ª Rota Rosa do Adro

A Taça Regional de Maratonas da Associação de Ciclismo do Porto teve em Sanguedo, Santa Maria da Feira, a sua quarta e derradeira etapa, sendo disputada num percurso com cerca de 60km de extensão, recheado de curtas, mas duras subidas.

A minha corrida começou bem antes das 9h30... 
Devido a compromissos profissionais não sabia se conseguiria chegar em tempo útil para conseguir alinhar. Despachei-me e siga para Sanguedo. Foi chegar, equipar, montar a bike, cumprimentar da equipa e siga para a partida 

Este ano voltamos a ter elementos do centro equestre local a liderar o pelotão nos momentos iniciais da prova, pelas ruas centrais de Sanguedo. Por essa altura era alguma a confusão no meio da grande coluna de ciclistas, dada a velocidade (demasiado) reduzia a que seguíamos e a (enorme) vontade de toda a gente querer chegar-se o mais à frente possível... Dada a partida real, tudo começou a normalizar.

Para não variar o ritmo foi fortíssimo desde logo, partindo o pelotão em muitos grupos. Segui na primeira aparte da prova junto ao colega de equipa e vencedor no final entre os Master 45 António Passos, tendo-se depois juntado a nós o Miguel Moura, que venceu entre os Master 40 e foi na companhia deste que terminei a prova, sofrendo bastante nos últimos quilómetros. Tal como muitos colegas, ia "mentalizado" para 50 km de corrida, mas no final tivemos mais de 60 e isso pesou um pouco no desgaste, mas no final soube bem ter conseguido segurar o segundo lugar entre os Master 35, atrás de um fortíssimo Bruno Santos.

Tenho de agradecer ao amigo Miguel os incentivos na parte final. Valeu amigo!

Acabou assim por ser um dia muito positivo, pois além dos pódios individuais, conseguimos ainda uma excelente vitória colectiva para a nossa equipa!

Obrigado a tod@s pelo apoio e aos nossos patrocinadores por nos proporcionarem estas oportunidades.
Finalizo assim a Taça Regional AC Porto de XCM no quarto lugar.

Agora todas as atenções viram-se para o Ciclocross, a mais bela fase da temporada! :D


Clkassificação Master 35


domingo, 1 de outubro de 2017

Ciclocross Três Cantos

Fim de semana em Tres Cantos, cidade situada nos arredores de Madrid, para dar inicio à temporada de Ciclocross, participando na primeira prova da Copa de Madrid da modalidade.

Depois da viagem no dia de sábado, ainda chegamos a tempo de dar algumas voltas ao circuito, confirmando desde logo as expectativas que levava, de que teríamos pela frente uma corrida disputada a grande velocidade, dadas as características do traçado e do piso, seco e duro.

Ainda o dia de domingo estava a começar a clarear e já o paddock estava cheio de vida. Logo por ali já dava para ver que o nível desta Copa de Madrid é bem interessante, com cerca de 300 atletas a participar e várias equipas com estruturas de impressionar.

Logo na primeira corrida do dia alinharam as categorias de Master 40, 50 e 60, onde o amigo António Moreira, na sua estreia na categoria de M50, arrancou um muito positivo quinto lugar, tendo andado próximo do pódio.

Eu alinhei na segunda corrida, mas seguramente que este não era o meu dia...
A corrida até começou muito bem. Sem ranking, tive de arrancar da ultima fila, com um pelotão de mais de quarenta ciclistas pela frente, mas à entrada da segunda volta já rodava entre os dez primeiros. Estava com um bom ritmo e continuei a ganhar posições, tendo andado pelo sétimo ou oitavo lugar, até que à terceira volta começou uma série de problemas com a bicicleta que me forçaram a parar duas vezes antes de trocar para a suplente, perdendo bastante tempo e muitos lugares, e mesmo após a troca, ainda tive de parar mais duas ou três vezes e assim uma boa classificação ficou hipotecada... Apesar de tudo deu para finalizar em 15º entre os 40 que concluíram a prova, mas o mais importante foi sentir que estava com um bom andamento e sendo assim, há que seguir animado para uma próxima oportunidade.

Segue-se agora no próximo fim de semana a Maratona Rosa do Adro, ultima prova de XCM da temporada, a contar para a Taça Regional da Associação de Ciclismo do Porto.

Galeria de Fotos

Classificação Master 30



Vídeo on-board do reconhecimento ao circuito 


domingo, 17 de setembro de 2017

Taça Portugal XCO #5 - Avis

A quinta e ultima prova da Taça de Portugal de XCO disputou-se em Avis, em plena região norte alentejana, que acolheu a caravana do Cross-Contry Olímpico no seu circuito habitual, que este ano apresentou algumas novidades, mas mantendo o seu traçado e dificuldades habituais.

Foi um fim de semana onde encontramos temperaturas muito agradáveis, sendo a minha corrida disputada em cinco voltas ao circuito.
Ainda antes da partida da Corrida 1, onde alinharam as categorias de Master´s, foi recordado o nosso Amigo Diogo Sá, sendo guardado um minuto de silêncio.

O arranque foi rapidíssimo, como habitual, e a colocação era importante, pois a primeira parte da pista era a mais técnica e a que apresentava trilhos mais apertados, sendo difícil ultrapassar.
Durante toda a prova andei dentro dos quinze primeiros, terminando a corrida no 11º posto final, classificando-me assim no 15º posto no ranking final desta Taça de Portugal de XCO.

Terminam assim por agora as provas de XCO. O Ciclocross aproxima-se e já só falta disputar uma prova de BTT. A Maratona de Sanguedo no dia 8 de Outubro.

Obrigado equipa e todos os patrocinadores por todo o apoio.


Classificação Master 30


Ranking Final Taça Portugal XCO Master 30




domingo, 10 de setembro de 2017

1ª Maratona XCM Centro BTT de Valongo

Após a pausa de verão, a Taça Regional de XCM da Associação de Ciclismo do Porto regressou à actividade, com a realização da 1ª Maratona XCM Centro BTT de Valongo, terceira prova do calendário e simultâneamente, Campeonato Regional.

Antes da partida, um bonito gesto a recordar a memória do nosso Diogo Sá, com um minuto de silêncio por parte de todos os presentes. Estejas onde estiveres, amigo, vamos recordar-te para sempre.

Dada a partida da prova, seguimos rápidamente em direcção aos trilhos duros e exigentes que nos levariam primeiro na direcção de Sobrado e Agrela, sendo que depois na segunda metade da prova, passamos para o lado das serras em torno de Couce, após nova passagem pelo centro de Valongo.

Os primeiros quilómetros apresentaram-se bastante exigentes, não só pelas curtas, mas bem duras subidas, mas também pelo piso, quase sempre em pedra.
Nessa fase aos poucos fui-me chegando ao grupo onde seguiam os líderes da minha categoria, Master 35, com os quais me mantive até perto de metade da prova, até que não foi possível manter o ritmo, devido a problemas com o cepo da roda traseira, que por várias vezes deixou de funcionar e me fazia parar. Tentei seguir mesmo assim, apesar de ser já mais "race to finnish" do que outra coisa, mas infelizmente fiquei mesmo sem transmissão uns quilómetros após o segundo abastecimento e tive de terminar a minha corrida por aí...

Apesar de tudo a nossa equipa conseguiu excelentes resultados, com dois títulos individuais para o Miguel Moura em Master 40 e o António Passos em Master 45 e ainda uma medalha de prata para o Augusto Midão entre os Elites. Colectivamente a Rompe Trilhos / APCar foi terceira classificada.

Galeria de Fotos

Classificação Master 35


1ª Maratona XCM Centro BTT de Valongo

O recém criado Centro de BTT de Valongo, acolhe a 1ª Maratona XCM Centro BTT de Valongo, num percurso com cerca de 60km de extensão e 1700m de desnível acumulado de subida.

Em disputa estará o título de Campeão Regional AC Porto de XCM em todas as categorias, sendo também a terceira prova pontuável para a Taça Regional de Maratonas.



Domingo 10 Setembro:

07h30 - Abertura do Secretariado
08h35 - Reunião Directores Desportivos
08h40 - Abertura das boxes
09h00 - Partida Maratona
12h30 - Chegada prevista 

domingo, 6 de agosto de 2017

VCPGE - Mais uma grande aventura

Terceiro ano consecutivo  a participar no Vila do Conde Peneda Gerês Extreme, novamente na companhia do Hugo Ferreira, para mais três espectaculares dias de BTT.

Foto: By Eduardo Campos
Este evento, que ano após ano vem cimentando a sua presença no calendário nacional e granjeando o interesse dos atletas, voltou nesta edição de 2017 a brindar-nos com locais que tinham tanto de beleza como por vezes de dureza.

Em "reunião" em plena hora de partida para a primeira etapa que ligou Vila do Conde a Fafe, decidimos formar uma "dupla de quatro" percorrendo assim o percurso na companhia dos dois "Marcos" do Rompe Trilhos, o Marco Paço e o Marco Pereira.

Foto: By Eduardo Campos
E assim foi depois entre Fafe e Rio Caldo no Gerês e Rio Caldo - Vila do Conde no ultimo dia. No total foram cerca de 20 horas para percorrer os cerca de 300 km, onde fomos mantendo um bom andamento, sem "entrar em loucuras" pois a dureza era muita e queríamos mesmo completar a prova sem grandes problemas ou quedas, objectivo que conseguimos com sucesso, com algumas histórias e "informações dramáticas" pelo meio, mas a boa disposição era o que realmente interessava.

Ficam sempre na memória os bons momentos vividos durante e após as etapas na companhia dos restantes colegas de equipa, outros participantes e membros do straff, que tudo fizeram para que nada nos faltasse antes, durante e após cada dia de pedalada.

Parabéns aos colegas António Passos e Miguel Moura por mais uma grande vitória na categoria Master 40, a quarta consecutiva!

Obrigado equipa e todos os patrocinadores por nos proporcionarem estes fantásticos momentos.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Vila do Conde - Peneda Gerês Extreme 2017

Está aí mais uma edição do Vila do Conde - Peneda Gerês Extreme e pelo terceiro ano consecutivo alinho na companhia do amigo Hugo Ferreira para esta aventura de três dias e mais de 300km.



Detalhes da prova:

Etapa 1 - Vila do Conde / Fafe - Sexta Feira, 4 de Agosto








Etapa 2 - Fafe / Rio Caldo - Sábado, 5 Agosto


 Etapa 3 - Rio Caldo / Vila do Conde - Domingo, 6 Agosto


segunda-feira, 31 de julho de 2017

Campeonato Regional Estrada AC Porto: Medalha de Bronze

Tal como vem acontecendo nos últimos anos, o Circuito das Festas de Lousada voltou a servir de palco para a atribuição dos títulos regionais de ciclismo de Estrada da Associação de Ciclismo do Porto. No ano passado venci entre os Master 30, este ano voltei ao pódio, conquistando a medalha de bronze.

A corrida deste ano foi disputada num total de 15 voltas ao circuito com cerca de 2,7km de perímetro, numa corrida que acabou por ser marcada por uma fuga que conseguiu vingar sobre o grupo perseguidor, com dois elementos a chegarem adiantados face ao grande grupo.

Na frente da corrida seguia aquele que seria no final Campeão Regional na minha categoria, Master 30, Nuno Torres (Secai), que rodou durante bastante tempo na companhia do espanhol Ruben Fernandez (Norinver), tendo depois o galego conseguido isolar-se e cortar a meta em solitário, mas como a sua equipa não pertence à AC Porto, o Campeão Regional foi então Nuno Torres.

Mais atrás no pelotão, seguia a luta pelos lugares seguintes, tendo Ruben Nunes (ASC-Focus Team-Vila do Conde) sido o mais rápido no sprint, ele que também chegou a andar em fuga junto dos dois da frente, mas que depois acabou por ser alcançado, que assim levou a medalha de prata entre os M30.
De minha parte, consegui chegar-me à frente do grupo no ultimo quilómetro, entrando em boa posição na recta de meta para fechar em terceiro da categoria, assegurando assim pelo segundo ano consecutivo uma medalha, a de bronze desta vez, depois do ouro do ano passado.

É sempre bom ter a oportunidade de correr perto de casa e foi espectacular sentir o apoio da família, amigos e muita malta conhecida.

Não queria terminar, sem deixar no ar uma vez mais, a questão sobre a possibilidade de no futuro podermos ter um calendário regional de estrada com mais corridas para Masters, porque não integrando as corridas já existentes para as categorias de Cadetes e Juniores sendo até uma possível forma de ajudar no financiamento dessas corridas dos jovens? Seria óptimo para todos.

Quanto ao meu calendário, seguimos já a partir de sexta feira com a participação em mais uma edição do Vila do Conde - Penêda Gerês Extreme. Três etapas em três dias em dupla com o amigo Hugo Ferreira.

Circuito Festas de Lousada 2017 - Campeonato Regional Master



Programa:

13h00 - Abertura do Secretariado
14h00 - Reunião Directores Desportivos
14h30 - Cadetes - 2,7km - 10 voltas
15h30 - Master 30, 40, 50 - 2,7km - 15 voltas
17h30 - Juniores  e Sub-23 - 2,7km - 15 voltas

domingo, 23 de julho de 2017

Campeonato Nacional XCO 2017 - Sobrado

A corrida mais importante da temporada de XCO, o Campeonato Nacional, disputou-se este ano em Sobrado, num circuito já conhecido para a maior parte do pelotão, que já ali correu provas da Taça de Portugal nas ultimas temporadas.

Para o evento principal do ano, o traçado manteve o figurino, marcado por várias subidas duras, registando apenas a introdução de dois "obstáculos polémicos" naquela que já era a descida mais "complicada" do percurso, sendo de longe o assunto mais comentado nos dias que antecederam as corridas e mesmo durante o próprio fim de semana.
Outra novidade este ano, que para mim também teve bastante influência nas dificuldades do percurso, foi o facto de a prova ser disputada em com tempo seco, que proporcionou uma muito severa degradação do piso, com quase todas as descidas muito escavadas a aumentar ainda mais a exigência aos participantes.

Esperava-se novamente uma bonita corrida entre os Master 30, a minha categoria, com vários atletas a manterem legítimas aspirações ao título nacional.
Parti da segunda linha e procurei evitar as confusões naturais dos arranques. Tive alguma sorte em não ficar retido na confusão e mantive-me bem classificado desde o inicio, entrando depois numa luta pela entrada nos dez primeiros classificados, tendo fechado a corrida no décimo primeiro posto.

Foi o melhor resultado da época a nível nacional até ao momento. Fiz a minha corrida e consegui evitar quedas, coisa que houve em grande número ao longo do dia, e assim regressei a casa com a sensação de que fiz o melhor possível, e quando assim é, fico satisfeito. 

Parabéns ao Ricardo Vicente pela grande vitória e merecido título de Campeão Nacional e ao Ruben Nunes e André Filipe pelas medalhas de prata e bronze respectivamente.

Foi sem duvida um dia especial de corridas aquela que se viveu em Sobrado e para isso contribuiu muito também o elevado numero de publico que esteve a assistir ás corridas e criou um ambiente realmente impressionante. É sepre bom estarmos em prova a dar tudo e sentirmos o apoio de quem está do lado de fora. Obrigado!

Obrigado também à minha equipa Rompe Trilhos / APCar e todos os seus patrocinadores, bem como ao nosso staff, que tudo faz para que nada nos falte.
De parabéns estão também os colegas de equipa Miguel Moura, que conseguiu um fantástico quinto posto e o António Passos, sétimo, ambos entre os Master 40.
Obrigado ao Miguel pela cedência da sua maravilhosa bike suplente, que também ele se portou lindamente na corrida.

Passou assim uma semana, em que tive também cá por casa o Leandro Escobar e o Vítor Pereira da equipa açoreana Ribeirinha Ativa / Ourivesaria Olímpio, que vieram para participar neste evento. Passamos bons momentos e são de facto estas experiências que ficam para sempre nas nossas memórias.

Depois deste Campeonato Nacional, a época segue agora para a sua fase final e a próxima corrida será já no dia 31, no Circuito das Festas de Lousada, onde no ano passado conquistei o título de Campeão Regional. Vamos ver como corre este ano :)


Classificação Master 30



domingo, 2 de julho de 2017

GP Sportzone / Volta ao Faial e Pico

Depois da estreia na edição do ano passado, esta época voltei a estar à partida para mais uma edição do Grande Prémio Sportzone / Volta ao Faial e Pico, integrando a equipa Ribeirinha Ativa / Ourivesaria Olimpio / Rompe Trilhos. 
 Ao contrário do ano passado, desta vez não tivemos prólogo inicial, contando assim o percurso com três etapas em linha, duas disputadas no Faial e uma no Pico. 

Foi uma corrida que na minha opinião ficou marcada por duas fugas, na segunda e terceira etapas, que tiveram bastante importância na forma como a corrida foi disputada, com muita gente a poupar energias e a guardar tudo para a subida final à Caldeira do Faial. 
Foi aí que tudo se decidiu em termos de classificação, e onde deu para reparar que os líderes de várias equipas estavam com forças bastante idênticas. 

De nossa parte, Ribeirinha Ativa Ourivesaria Olimpio / Rompe Trilhos, por diversas vezes assumimos o pelotão e a vontade de ir mais depressa, mas sem o mesmo tipo de atitude de outras formações, mais preocupadas em poupar forças para o final e ver no que dava na Caldeira, acabamos por nos desgastar um pouco, pagando um pouco essa atitude no final, mas pelo menos tentamos proporcionar uma corrida mais animada. 

Em termos de resultados, mostramos ser a equipa mais coesa e vencemos colectivamente, o que também era muito importante para a nós e ainda colocamos três elementos entre os dez primeiros classificados à geral. 

Pessoalmente, melhorei o resultado do ano passado, fechando no décimo lugar final. 
Tentei dar o meu melhor pela equipa e na defesa do nosso líder, o colega Daniel Bastos, que também se mostrou sempre bastante inconformado com a forma como as etapas iam decorrendo e por diversas vezes mexeu na corrida. 
De regresso a casa, só tenho a agradecer a tod@s aqueles que de uma ou outra forma contribuíram para esta minha presença e em especial ao António Dutra e Ribeirinha Ativa pelo convite e ao Leandro Escobar e família, por todo o acolhimento e conforto nos maravilhosos dias que passei mo Faial. Obrigado amig@s e até breve!


domingo, 4 de junho de 2017

Ribeira de Pena XCO Internacional

Dois anos depois da estreia do circuito de Lamelas, Ribeira de Pena voltou a receber uma prova de Cross-Country Olímpico da vertente BTT.

Apresentando algumas novidades, mas mantendo a base do traçado de 2015, o circuito manteve a sua essência natural em termos de trajecto e dificuldades, sendo na minha opinião dos mais espectaculares circuitos do nosso país.

Depois de uma húmida terceira prova da Taça de Portugal no Fundão umas semanas antes, o bom tempo desta vez fez-se sentir e também ele contribuiu para um bom fim de semana de corridas.

Apesar de ser uma corrida de Categoria 2 da UCI, o facto de ser "extra Taça de Portugal" terá afastando alguns participantes habituais, mas mesmo assim tivemos corridas de bom nível. Entre os Master 30, alinhamos cerca de vinte atletas.

O Campeão Nacional, Ruben Nunes desde cedo se destacou na frente da corrida, composta por cinco voltas ao traçado de cerca de 4,5km de extensão. Na sua perseguição seguiam o colega de equipa na ASC Filipe Ramos e o Pedro Marques do BTT Seia, tendo acabado assim nessa ordem.
Eu acabei por rodar sempre dentro do Top 10, a certa altura mais perto dos cinco da frente, mas dois percalços com a bike e duas consequentes paragens atrasaram-me um pouco em fases importantes da corrida. Assim, andei quase sempre numa luta divertida com o Bruno Santos e o Nestor Monteiro e o melhor que deu para fazer em termos de resultado foi o nono lugar final. Contudo, senti-me bastante bem durante a prova e sendo assim há que seguir em frente para tentar melhorar.

Foi bom também ver o colega Augusto Midão voltar a competir, depois de uma fase complicada devido a lesão. Vamos lá amigo! 

Não posso terminar este pequeno resumo sem felicitar o Sr. Amado, a cara da organização deste evento, e toda a equipa que ajudou a colocar de pé esta prova, pelo excelente trabalho que fizeram e que em 2018 lá estejamos para participar, mas agora num evento de categoria C1.

Obrigado a todos pelo apoio e obrigado à equipa Rompe Trilhos - APCar e seus patrocinadores por todo o suporte.

A minha próxima corrida será a Maratona de Avintes, segunda prova da Taça Regional de XCM da AC Porto, no dia 10 de Junho.



domingo, 14 de maio de 2017

Taça de Portugal XCO #3 - Fundão

A Taça de Portugal de XCO entrou na segunda metade, com a realização da terceira prova da temporada no Fundão.

Foto: Rompe Trilhos - APCar
As encostas da serra Gardunha, nas imediações do Parque do Convento voltaram a servir de cenário para o circuito da prova, que na sua essência era idêntico ao do ano passado, apresentando apenas pequenas alterações.

Novamente voltamos a ter alguns aguaceiros durante o fim de semana, que tornaram a pista bastante escorregadia, melhorando no entanto as condições de volta para volta.

Não arranquei muito bem e fiquei fechado na confusão do primeiro "afunilamento", perdendo vários lugares, mas consegui encontrar o meu ritmo e fiz uma corrida um pouco de trás para a frente, recuperando algumas posições, até ao 14º posto final ao longo de cinco duras voltas.

A malta da frente continua fortíssima, pelo que resta continuar a "trabalhar" para que se possa evoluir mais um pouco.

Finalmente, e depois de vários anos a correr no Fundão, uma pista da qual gosto bastante, tive uma prova livre de percalços!

Seguem-se agora duas semanas sem corridas, estando o regresso ás pistas marcado para o dia 4 de Junho no XCO Internacional de Ribeira de Pena.

Obrigado à grande equipa Rompe Trilhos e seus patrocinadores por todo o apoio e a todos que foram "puxando" por mim ao longo da corrida.


Classificação Master 30


domingo, 23 de abril de 2017

Taça AC Porto XCO #3 - Moure

Foi em Moure, Amarante, que a Taça Regional da Associação de Ciclismo do Porto teve a sua terceira prova da temporada.

Tendo por base as instalações do campo de futebol local, o circuito deste ano aproveitou a maior parte do traçado do ano passado, apresentando no entanto algumas partes novas que na minha opinião vieram acrescentar qualidade a uma pista onde gosto de correr.
As descidas são divertidas e as subidas complicadas, com alguns topos bem duros.

O dia apresentou-se com temperaturas bastantes elevadas e pela primeira vez este ano a corrida foi disputada da parte da tarde, obrigando a algumas alterações na "logística" de preparação do dia de prova.

Parti bastante bem, mas na primeira curva fiquei algo fechado e tive de travar, perdendo aí uma boa colocação para a entrada nos primeiros single-tracks.
As primeiras descidas da volta inicial foram algo complicadas. A malta seguia toda muito junta e o pó no ar era muito.

De imediato perdi o contacto com a frente da corrida, mas fui tentando o meu melhor ao longo da prova, recuperando alguns lugares e concluindo na sexta posição e somando assim mais alguns pontos para a classificação geral da Taça.

Mais uma vez não posso deixar de agradecer o incansável apoio de toda a malta da minha equipa, quer nos abastecimentos que no apoio ao longo da corrida.

Galeria de Fotos

Classificação Master 30


Ranking após 3ª prova