domingo, 17 de maio de 2015

Taça de Portugal XCO #3 - Fundão: 13º foi o resultado possível

Num fim de semana de bastante calor, Fundão acolheu pelo terceiro ano consecutivo uma prova da Taça de Portugal de XCO, novamente com o circuito desenhado no Parque de Campismo do Convento a servir de palco dos acontecimentos.

Foto: UVP-FPC
A pista era idêntica à do ano passado, registando apenas algumas alterações na zona de meta, que lhe trouxeram alguns metros mais de extensão, mas o essencial manteve-se, com uma primeira parte marcada por duas subidas mais longas e uma segunda fase de descidas e mais rolante.

Quanto à minha corrida, as coisas não me saíram bem... Dada a partida tentei uma boa colocação, mas ainda na primeira volta a corrente saltou fora duas vezes e com as respectivas paragens para a re-colocar perdi tempo e o contacto com os atletas da frente.
Tentei não desanimar e encontrar o meu ritmo, mas a situação da corrente repetiu-se mais duas vezes e dessa forma uma classificação dentro dos dez primeiros tornou-se impossível.

Assim conclui a prova no 13º lugar, somando mais alguns pontos para a Taça, mas não evitando uma descida para o nono lugar do ranking, no entanto a luta continua já no próximo mês  de Junho em Ribeira de Pena e lá estarei para dar o meu melhor, esperando nessa altura não ter mais percalços.

A próxima prova onde estarei presente será a contar para a Taça Regional do Porto, em Jovim, no próximo dia 31.

Obrigado à minha equipa Rompe Trilhos e seus patrocinadores por todo o apoio e aos pais do colega de equipa Tiago Peniche pela ajuda e companhia durante o fim de semana.

Galeria de Fotos

Classificação Master 30




quinta-feira, 14 de maio de 2015

Taça de Portugal XCO #3 - Fundão

Depois das passagens por Marrazes em Leiria e Sobrado em Valongo, este fim de semana a caravana da Taça de Portugal de XCO desloca-se para o Fundão, em plena serra da Gardunha, para disputa da terceira prova da temporada.

A corrida de Categoria 2 UCI, será disputada num circuito, tal como na época passada, desenhado nas imediações do Parque do Convento, com cerca de 4200 metros de extensão.


Programa: 17 Maio - Domingo 

07h00 Abertura do Secretariado 
08h00 Encerramento da confirmação das inscrições 
08h45 Chamada da Corrida 1 
09h00 Partida da Corrida 1 (Cadetes Masc. Master 30, 40, 50 Paraciclismo Masc e Promoção)
10h45 Chamada da Corrida 2 
11h00 Partida da Corrida 2 (Juniores Masc. e Todas as Categorias Femininas)
14h55 Chamada da Corrida 3 
14h30 Partida da Corrida 3 (Elite e Sub-23 Masc.)

Mapa circuito

Altimetria circuito


domingo, 3 de maio de 2015

Douro Granfondo: 175km de beleza e dureza

E pronto, está cumprido o objectivo de completar o meu primeiro Granfondo. Foram 175 km pedalados por entre vales e vinhas do Alto Douro Vinhateiro, num evento de dimensão realmente impressionante. Nunca tinha pedalado com tanta gente :)

Foto: Miro Cerqueira
O domingo amanheceu cinzento, com a chuva a aparecer durante a viagem de Penafiel até à Régua. Apesar disso até não estava muito frio.
Já tinha levantado o kit e dorsal na véspera, por isso, foi chegar, preparar a bike e seguir para a box de partida. Nesta altura a maior duvida era mesmo a de levar ou não levar o impermeável. Escolhi a segunda opção e não me arrependi, pois apesar do inicio chuvoso a coisa até se compôs para o resto da manhã.

Os primeiros quilómetros, percorridos sempre com o rio Douro ao lado em direcção ao Pinhão, foram sempre a alta velocidade. Na partida tinha mais de 1000 ciclistas à minha frente e queria colocar-me o melhor possível até à entrada da subida para S. João da Pesqueira. Foram cerca de 45 minutos a rolar bem, com um ou outro "susto" pelo meio, pois a estrada parecia pequena para tanta gente a querer chegar-se para a frente, mas lá iniciei a subida com cerca de 45 segundos a um minuto da frente do pelotão.
A partir daí procurei encontrar o meu ritmo e no final da subida seguia integrado num grupo com quem rodei até cerca de 2km de Alijó, onde "encontrei o homem da marreta" e descolei do grupo...

Foto: Vânia Faria
Já levávamos cerca de quatro horas de andamento por essa altura, coisa que nunca faço nos meus treinos e assim a partir dai decidi desligar-me da "corrida" e rolar num ritmo confortável que me permitisse chegar até ao final na Régua. Foram cerca de 70km quase sempre a solo, onde perdi muito tempo para os primeiros, mas consegui alcançar o objectivo de terminar e não ter de desmontar em nenhuma subida, mesmo naquela que tinha uma lona a dizer "Bem vindo ao Inferno" a subir para Armamar! :)

Conclui os 175km com 6h17s de andamento, em 127º da geral e 61º Master 30

Foi mais uma grande experiência, onde encontrei alguns amigos e ainda tive o privilégio de ter comigo a família. Agora o próximo Granfondo é já em Junho, no Gerês :)

Entretanto as atenções regressam ao BTT, com a Taça de Portugal de XCO no dia 17 a ser disputada no Fundão.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Douro Granfondo 2015

No próximo domingo, dia 3, estarei à partida para a primeira edição do Dourogranfondo. Um evento de estrada, que seguramente irá ficar na memória, quer pela envergadura humana, com os seus mais de 2000 participantes, quer pela dureza do percurso com 175km de extensão, incluindo cinco duras subidas pelo caminho, quer ainda pelas maravilhosas paisagens do Alto Douro Vinhateiro por onde iremos passar.

Deixo-vos aqui algumas informações sobre o Douro Granfondo 2015

Dorsal

Perfil



Percurso
Video promocional



Mais informações sobre o Douro Granfondo em www.dourogranfondo.com

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Taça Portugal XCO #2 - XCO Internacional de Valongo: O meu melhor resultado até ao momento

Depois do reconhecimento ao circuito de Sobrado, na quinta feira, de imediato fiquei com a sensação que teríamos pela frente uma corrida muito exigente, dada a dureza do traçado, que para mim, tinha tanto de duro como de divertido.
Subidas relativamente curtas, mas bastante duras, seguidas de zonas rápidas de descida com passagens onde nos divertíamos na condução da bicicleta.

Foto: Eduardo Campos
A chuva que apareceu a partir de sexta feira veio trazer ainda mais dureza, apesar do piso da pista até se ter "segurado" bem.

Parti da segunda linha para as cinco voltas que compuseram a corrida de Master 30 e nos primeiros quilómetros de prova ainda cheguei a rodar na quarta posição, baixando depois para quinto, onde andei durante a maior parte do tempo, mas já perto do final da corrida fui ultrapassado pelo Fábio Ferreira e terminei a prova em sexto. O meu melhor resultado até ao momento em provas da Taça de Portugal de XCO.

Apesar do resultado animador, acabei por ter de gerir bem a prova, pois a partir da segunda volta senti que o pneu traseiro da bicicleta estava com um furo lento e como se já não bastasse isso, a partir da terceira volta a corrente saltou várias vezes da pedaleira, obrigando-me a parar para a recolocar no sítio...
Foto: BTT Seia
Na ultima volta já só pensava em levar a bike até ao final. Dava tudo a subir para depois nas decidas ir mais devagar...

A vitória na corrida foi para o Davide Marques (Nutrimania/Racing Bikes/MStina/GDVP), seguido pelo Campeão Nacional Marco Sousa (Róódinhas/Santos Silva) e pelo Pedro Marques do BTT Seia.

Com este resultado subi ao oitavo posto da classificação geral na Taça. com os mesmos pontos do sexto. Muito bom, tendo em conta as circunstancias em que vou correndo.

Não quero terminar este pequeno resumo, sem agradecer os incentivos de tod@s ao longo da prova e o apoio da equipa nos abastecimentos. Obrigado amig@s!


Classificação Master 30:





quinta-feira, 23 de abril de 2015

XCO Internacional de Valongo 2015

Após o arranque no passado mês de Março em Marrazes, Leiria, a Taça de Portugal de XCO prossegue este fim de semana em Sobrado, Valongo, onde iremos disputar a segunda prova do calendário.

O percurso, que conta com cerca de 3,6k  de extensão, desenrola-se nas imediações do complexo desportivo de Sobrado.


Programa:26 Abril - Domingo 

07h00 Abertura do Secretariado 
08h00 Encerramento da confirmação das inscrições 
08h45 Chamada da Corrida 1 
09h00 Partida da Corrida 1 (Cadetes Masc. Master 30, 40, 50 Paraciclismo Masc e Promoção)
10h45 Chamada da Corrida 2 
11h00 Partida da Corrida 2 (Juniores Masc. e Todas as Categorias Femininas)
14h55 Chamada da Corrida 3 
14h30 Partida da Corrida 3 (Elite e Sub-23 Masc.)


segunda-feira, 20 de abril de 2015

Vuelta a Galicia Master: Uma experiência que espero repetir


Já há uns meses, logo que soube da realização da Vuelta a Galicia Master, que decidi colocar este evento no meu calendário.
Uma prova totalmente diferente daquilo a que estou habituado: Estrada, com um contra-relógio e disputada em etapas! Algo tentador, que de imediato decidi experimentar.

Subida para o Alto das Viñas
Em termos de preparação especifica em si, para esta prova, praticamente não mudei muito os meus treinos. Fiz mais algumas horas nas ultimas semanas, mas nada de muito especial e sabia de antemão que este seria um grande desafio, aguentar com o andamento de um pelotão com a qualidade deste que encontrei, onde marcaram presença algumas das melhores equipas Master da península Ibérica.

O objectivo para esta prova era mesmo tentar acumular quilómetros entre o pelotão, aguentar todo aquele ritmo, por vezes infernal e acabar as etapas ali inserido, objectivo esse que não consegui alcançar...

Logo na primeira etapa de sábado, e com apenas 7,5km percorridos, furei um dos boyaux, provavelmente devido à muita sujidade que as chuvadas dessa madrugada trouxeram para a estrada...
Como alinhei sozinho, sem equipa e sem assistência e com o carro de apoio neutro já para a frente, não me restou outra alternativa senão subir para o carro vassoura, deixando desde logo de poder contar para a classificação geral da prova, mas podendo no entanto alinhar nas duas etapas seguintes.

Partida para o CRI
Da parte da tarde realizou-se então o contra-relógio, com cerca de 6,5 km de extensão, culminando com uma exigente subida no ultimo quilómetro, com cerca de 14% de inclinação média.
A primeira parte era marcada por estrada estreita, com muitas viragens apertadas, seguindo-se depois uma parte em estrada mais larga a rolar e finalmente o "grande muro".
Sem qualquer experiência em CRI, tentei encontrar um ritmo relativamente confortável, que me permitisse depois na subida final não quebrar muito. Acabei por fazer um tempo a meio da tabela. 64º, a 2'14 do mais rápido. o ex-profissional Alexandro Mosquera.

Já no domingo tivemos a terceira e ultima etapa. 86km, com duas contagens de montanha pelo caminho e com o sol de regresso à Galiza.
Era então a oportunidade para rolar entre o pelotão de mais de 120 corredores, que desde a partida real, de imediato passou a  rolar a alta velocidade.
Muito nervosismo ali pelo meio e uma luta constante pela melhor colocação no grande grupo até chegarmos à primeira montanha do dia, onde entrei a meio do grupo.
A corrida foi logo ali muito atacada, com os primeiros da geral a colocar um ritmo impressionante na subida e o pelotão a "esfrangalhar-se" todo ali, com muitos cortes e grupos.

Fiquei num desses cortes e dei tudo na descida seguinte para voltar a apanhar o grupo principal, o que não consegui por escassos 50 metros no final da descida, ficando apenas na companhia de dois colegas espanhóis. Um deles ainda ajudou a perseguir no plano dos km seguintes, mas o outro apenas passou para a frente para encostar ao pelotão quando estávamos quase a chegar lá e reentrou. Eu é que não... Paguei esse esforço na perseguição durante vários km e com um pelotão a rodar a 45km/h em direcção a Baiona, não mais reentrei...
Por momentos fiquei desanimado, por ter descaído em demasia na subida e depois não conseguir engatar de novo no pelotão, mas resolvi seguir, a solo, durante vários quilómetros, até que olho para trás e vejo que um grupo mais atrasado vinha no meu encalce. A partir daí integrei-me nesse grupo e rolamos até à meta. Já não havia nada a fazer, com um pelotão a rolar a alta velocidade mais lá na frente e assim chegamos com cerca de dez minutos de atraso para o vencedor.
O fim de semana não foram só bicicletas.
Ainda houve tempo para estar com amigos e a Marisa ir à praia

Apesar de tudo gostei da experiência e do ambiente em torno da prova, sem duvida uma grande organização, que envolveu muita gente para acompanhar a caravana na estrada.
Esta foi a primeira prova de Estrada de mais algumas que pretendo fazer este ano e gradualmente espero começar a melhorar as minhas prestações nesta vertente.

Obrigado a todos pelo apoio e foi bom ouvir algumas vezes o meu nome em espanhol na beira da estrada, durante o contra-relógio :)

No próximo fim de semana voltamos ao XCO, com a segunda prova da Taça de Portugal, em Sobrado, Valongo.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Vuelta a Galicia Master

No próximo fim de semana disputa-se a Vuelta a Galicia Master e será aí que darei inicio ao meu mini-programa de provas de Estrada em que pretendo participar nesta temporada.

A prova será disputada em dois dias: Uma etapa em linha (78,5km) na manhã de sábado e um contra-relógio (6,5km) na parte da tarde, ficando para a manhã de domingo a derradeira etapa em linha (86,3km).

Sem grandes referencias em termos de andamento, e participando sem colegas de equipa, espero "sobreviver" entre o pelotão e desfrutar desta experiência, aproveitando ao mesmo tempo para acumular mais alguma experiência em corridas desta vertente. Em prova estarão algumas das melhores equipas espanholas das categorias Master.

Etapa 1
O Porriño/O Porriño


Etapa 2
CRI Tomiño/Alto das Viñas


Etapa 3
Tui/Tui


Mais informação em www.vueltagaliciamaster.com