domingo, 23 de junho de 2019

Campeonato Nacional XCM - Marco de Canavezes

Este ano foi "ao lado de casa" que se disputou o Campeonato Nacional de XCM, com o evento a fazer parte do programa do Sendas do Almocreve, no concelho do Marco de Canavezes e onde foram então coroados os novos Campeões Nacionais de Maratonas de BTT. Pela minha parte, alcancei o sétimo posto, melhorando assim o nono de Melgaço no ano passado.

Apesar de ser inicio do Verão, foi debaixo de um verdadeiro dia de Inverno que disputamos esta já de si durissima corrida, com a chuva e nevoeiro a juntarem-se aos cerca de 95km de percurso com uns respeitáveis 3200m de desnível acumulado de subida, mas por outro lado havia a motivação de que seria um percurso excelente para uma prova deste nível, pois já tinha participado na edição do ano passado e sabia que a Aboboreira tem trilhos e caminhos fenomenais para a prática da modalidade, com subidas, descidas para todo o gosto, single-tracks e paisagens fantásticas, apesar destas não poderem ser observadas pois a chuva e nevoeiro não deram grandes tréguas ao longo das mais de cinco horas que necessitei para completar a corrida.

Quanto à minha prova propriamente dita, tudo correu bem até pouco depois do quilómetro 50, onde até então fui ultrapassando os quilómetros com o meu ritmo, recuperando algumas posições depois de ter ficado um pouco descaído na primeira hora de prova.
Entretanto, acabei por ter a infelicidade de furar numa altura em que seguia na luta por um lugar no pódio, perdendo depois bastante tempo entre chegar à zona de assistência e resolver o problema, caindo várias posições na classificação.

Apesar de tudo, consegui manter-me em prova, e deu para terminar na sétima posição Master 35, que mesmo assim é o meu melhor resultado de sempre num Campeonato Nacional de XCM.

Parabéns ao Carlos Gomes (BTT Seia) que mais uma vez esteve imperial e revalidou o seu título de Campeão, e ao Carlos Rocha (Saertex Portugal- Edaetech) e Agostinho Cunha (Clube BTT Freamunde - Ecoforhouse - Mycarbox) pelas medalhas de prata e bronze respectivamente.

No final da prova, fiquei orgulhoso pelas provas de toda a malta da equipa, especialmente da do António Passos, que se sagrou Campeão Nacional Master 45!! Muitos parabéns amigo!! Tu merecias!

Obrigado a tod@s pelo apoio. 

Obrigado amigo e treinador Miguel Moura (Lousanutrição), por todo o contributo que tens tido no meio de tudo isto. 
Obrigado família e equipa Rompe Trilhos - Ajpcar, seus patrocinadores e incansável Staff para que nada nos falte.
Obrigado Teknovelo pela ajuda a colocar a Trek Top Fuel 9.8SL a funcionar impecavelmente. Pena o furo, mas é das tais coisas das corridas...

As atenções agora voltam-se para o XCO, mais concretamente para o Campeonato Regional da Associação de Ciclismo do Porto, que se disputa no dia 7, em Galegos, Penafiel.

Galeria de Fotos

Classificação Master 35 Campeonato Nacional XCM

Classificação Master 35 - Taça Regional XCM AC Porto #3

quinta-feira, 20 de junho de 2019

Próxima corrida: Campeonato Nacional XCM - Marco Canavezes


Percurso

Horários:


domingo, 16 de junho de 2019

Taça de Portugal XCO #4 - Valongo

A penúltima prova da Taça de Portugal de Cross-Country Olímpico (XCO) realizou-se em Valongo, num evento de categoria UCI C1, de onde regressei com um quinto lugar Master 30.

Foto: Sandra Sobral Moura
Caminhamos para a fase decisiva da Taça de Portugal e foi com bom tempo e até algum calor que se passou o fim de semana do XCO Internacional de Valongo.
Para a edição deste ano, a organização realizou apenas algumas alterações ao traçado da pista em relação à época passada, mantendo as suas características de dureza em termos de subidas e descidas onde não podíamos facilitar com os níveis de concentração.

Alinhamos 22 atletas para a corrida de Master 30 que seria disputada em quatro voltas aos cerca de 4800 metros do percurso.

Apesar de sair da linha da frente, o arranque não me saiu muito bem, perdendo logo ali várias posições, mas aos poucos fui recuperando lugares ao longo da primeira volta
Foto: Cristina Sousa
e na primeira passagem pela meta ocupava a quinta posição, mas depois nas restantes três voltas não foi possível recuperar mais e acabei por fazer uma corrida isolado, sem mais alterações até ao final e assim repeti o meu melhor resultado de sempre numa Taça de Portugal de XCO, o quinto.
Fico agora na disputa pela mesma posição no ranking da Taça, que se decidirá em meados do mês de Setembro, em Avis.

Foto: UVP-FPC
A vitória nesta corrida foi novamente para o Campeão Nacional André Filipe, sendo o meu colega na equipa Rompe Trilhos - Ajpcar Augusto Midão o segundo classificado. O pódio ficou completo com o Filipe Ramos.

Para tod@s aqueles que estiveram lá a apoiar, o meu Obrigado!

Agora as atenções viram-se para o Campeonato Nacional de Maratonas (XCM) que se disputa já no próximo domingo, nos trilhos da Serra da Aboboreira, com partida e chegada em Tabuado, Marco de Canavezes.


Classificação Master 30




Ranking Master 30

quinta-feira, 13 de junho de 2019

domingo, 9 de junho de 2019

Taça de Portugal XCM #4 - Seia

A temporada da Taça de Portugal de Maratonas (XCM) avança para a sua fase final e  este fim de semana tivemos em Seia, a quarta e penúltima prova desta competição.

Depois do meu primeiro pódio nesta competição há duas semanas em Estremoz, as coisas voltaram a correr muito bem nesta maratona beirã, com um segundo lugar em Master 35 a surpreender-me novamente a mim próprio!

Há uns meses, ao ver Maratona de Seia no calendário da Taça de Portugal de XCM, julguei que iria ser a minha estreia a pedalar pelas imponentes encostas Serra da Estrela, mas para esta edição o Clube BTT de Seia resolveu escolher um novo trajecto, totalmente desenhado a oeste da serra, causando alguma surpresa.

Não tivemos Estrela, mas tivemos na mesma um percurso espectacular, bem marcado, com bonitos trilhos, alguns espectaculares e super-divertidos (!) e um verdadeiro rompe pernas, num sobe e desce constante ao longo dos seus cerca de 93 quilómetros de extensão.

A corrida foi disputada sempre a grande velocidade, com vários grupos numerosos a formarem-se com o desenrolar da prova.
Consegui encontrar um bom ritmo, e a cerca de trinta quilómetros do final isolei-me de um grupo onde seguia com alguns colegas Master 35 e aos poucos fui consolidando uma posição no pódio.

Completei a prova em 4h08m28s e assim consegui o meu melhor resultado até agora na Taça de Portugal de XCM.
A vitória foi novamente para o Carlos Gomes (BTT Seia) enquanto que o Carlos Rocha (Saertex Portugal-Edeatech) completou o pódio.

Obrigado a tod@s pelo apoio, especialmente à Leonor e à Marisa por mais uma vez estarem lá a apoiar!

Obrigado equipa e patrocinadores por todo o apoio e por nos proporcionarem mais um excelente fim de semana, sempre com os melhores momentos de convívio e amizade!

Nota final para a Top Fuel 9.8SL. Cada prova que passa, mais gosto desta bike!

Galeria de Fotos

Classificação Master 35


Ranking Master 35

Resumo UVP-FPC

domingo, 19 de maio de 2019

Taça de Portugal XCM #3 - Estremoz

A terceira etapa da Taça de Portugal de Maratonas BTT (XCM) disputou-se em Estremoz, regressando assim a prova alentejana ao calendário nacional da modalidade.
Para mim, foi a estreia no evento. Uma estreia que seguramente ficará na minha memória, pois foi ali que alcancei o meu primeiro pódio numa Taça de Portugal de XCM, ao terminar no terceiro posto!

Foto: UVP-FPC
Já há muitos anos que não ia a Estremoz. Só lá tinha estado uma vez, de passagem, numa visita de escola já lá vão uns vinte anos e foi bom voltar e reparar como mudam as coisas ao longo dos anos.
Estremoz é uma localidade interessante para uma visita com tempo disponível para apreciar todos os recantos e monumentos, coisa que não deu para fazer, pois estávamos ali para a terceira prova da Taça de Portugal de XCM.

Se nas duas primeiras provas, em Melgaço e Mortágua, a chuva fez a sua aparição, desta vez em Estremoz tivemos terreno seco e bastante duro, num percurso com quase 95 quilómetros de extensão e cerca de 2500m de desnível acumulado de subidas.
Confirma-se que a "Serra D'Ossa faz mossa", com o seu sobe e desce constante intercalado com algumas zonas muito rápidas a rolar!

Foto: UVP-FPC
Como sempre, a partida foi frenética, mas aos poucos fui entrando no meu ritmo e a dada altura, cerca do km 15 juntou-se a mim o colega António Passos, com o qual segui durante grande parte da prova, até que na aproximação à subida mais longa do dia, e já com mais de metade do percurso percorrido, recebi a informação de que estava na segunda posição e que um grande resultado seria possível.
Estava a sentir-me bem e nessa subida coloquei um bom ritmo, alcançando o Carlos Rocha (Saertex Portugal - Edeatech) e assumindo assim a liderança nos Master 35. Entretanto na longa descida seguinte o Carlos alcançou-me e pouco depois o pequeno grupo onde seguíamos enganou-se... Perdemos ali alguns minutos até retomar o percurso correcto e com isso entretanto fomos ultrapassados pelo Pedro Correia (BTT Gardunha/Fundão/Create).
Foto: UVP-FPC
Faltavam cerca de 20 quilómetros para o final, com alguns topos curtos mas duros onde acabamos por ficar todos juntos e as decisões finais ficaram mesmo para o ultimo quilómetro, com um ataque do Carlos no topo à entrada das muralhas de Estremoz a abrir alguns metros, primeiro para mim e depois para o Pedro, que depois já não conseguimos fechar até à meta e terminamos assim por essa ordem.

Finalizei assim em terceiro, o meu primeiro pódio numa Taça de Portugal de XCM e por isso regressei a casa bastante satisfeito com a minha prova. Parabéns ao Carlos Rocha e ao Pedro Correia pela vitória e pelo segundo lugar, pois naquele momento decisivo foram os mais fortes.

Obrigado equipa Rompe Trilhos/Ajpcar, staff e patrocinadores por todo o apoio, pois sem isso nada disto seria possível!

A concluir não podia deixar de referir a Top Fuel, sem duvida uma máquina que encaixou na perfeição na prova!

Galeria de Fotos

Classificação



Resumo UVP-FPC

domingo, 12 de maio de 2019

Taça de Portugal XCO #3 - Fundão

Fundão, terra das cerejas e das belas paisagens entre as serras da Gardunha e Estrela, na qual este ano ainda se avistava neve lá bem no topo, recebeu a terceira prova da Taça de Portugal de Cross-Coutry Olímpico.

Foto: UVP-FPC
Com as temperaturas a subirem, tivemos assim a primeira corrida da época com piso seco e calor, tornando o circuito bastante rápido.
Em termos de traçado não houve muitas alterações ao percurso, embora se tenha notado que o que se alterou foi para melhor e por isso uma vez mais dou os meus parabéns à organização do BTT Gardunha.

Regresso ao XCO, depois de uma semana exigente no Portugal MTB e depois de alguma confusão com os horários de chamada e partida, uma vez que pelos vistos existiam duas versões do regulamento, deu-se o inicio da corrida. 
O meu arranque não foi muito bem conseguido, perdendo bastantes posições, recuperando depois nas duas primeiras voltas até chegar à luta pelo quinto lugar, quando estávamos a cerca de metade da prova.
Na luta com o Pedro Marques (BTT Seia), ainda andei algum tempo no quinto posto, mas não deu para segurar a posição e assim terminei em sexto, passando a ocupar a mesma posição no ranking desta Taça de Portugal.

Foi um fim de semana muito positivo para a nossa equipa Rompe Trilhos / Ajpcar, com os pódios relativos os terceiros lugares dos colegas Augusto Midão em Master 30 e Miguel Moura em Master 40.
Obrigado Clara Moura pelos abastecimentos e a tod@s pelo apoio!


Classificação Master 30



Ranking Master 30 após 3 provas


domingo, 5 de maio de 2019

Portugal MTB 2019

Depois de vários anos em que foi de minha parte impossível participar, devido à coincidência de datas da prova com os fins de semana de Páscoa, desta vez pude pela primeira vez participar na Portugal MTB!
Seis dias de BTT com nível internacional e  etapas para todos os gostos e onde os bons momentos de convívio marcaram sem duvida este evento!

Alinhei em dupla com o colega de equipa Augusto Midão na categoria Master 30, e ao longo da semana fomos capazes de andar na luta por pódios de etapa, tendo conseguido dois e finalizado a competição no quarto posto da categoria e em nono na classificação geral absoluta, pese embora duas perdas de tempo com dois furos nas Etapas 1 e 3.
Apesar de algum receio inicial, pela falta de experiência em provas com tantos dias de duração, fisicamente acabei por me superar e aguentar até ao final.

Na memória ficarão as passagens por alguns locais espectaculares, desde a subida por entre as vinhas do Douro logo no prólogo, com o rio ao fundo, até ás passagens por algumas "aldeias especiais" como Drave ou Fujaco, com a sua duríssima subida para o alto da serra. 
Pelo meio também a maravilhosa paisagem de montanhas floridas e a zona do Portal do Inferno na serra de Arada.
Os quilómetros de caminhos medievais da etapa de Vouzela também foram algo que espectacular e ao mesmo tempo duro!

Desde já deixo o meu agradecimento às nossas directoras Cristina Sousa e Clara Moura, por todo o empenho para que nada nos faltasse, e à Leonor e à Marisa por toda a compreensão para que isto seja possível e por se terem-se juntado a nós no fim de semana.

Espero para o ano poder voltar a participar!

Galeria de Fotos