domingo, 29 de dezembro de 2019

Taça de Portugal Ciclocrosse #5 - Paços de Ferreira

A derradeira etapa da Taça de Portugal de Ciclocrosse disputou-se no Parque Urbano de Paços de Ferreira,  numa organização conjunta do Clube Trilheiros, Câmara Municipal de Paços de Ferreira e Associação de Ciclismo do Porto. 
Foi a terceira edição deste Ciclocrosse naquele recinto pacense,  local que este ano voltou ao calendário da Taça de Portugal,  depois de no ano passado ter integrado o da SuperSuperliga da vertente invernal do ciclismo.
Sendo a quinta e última prova, foi portanto ali que se definiram todas as contas finais dos rankings das diferentes categorias.

Para esta edição a organização manteve a base do circuito do ano passado.  Uma pista de características bastante rápidas,  com o tempo seco a contribuir também para corridas disputadas com velocidades pouco vistas no nosso país,  mas que na minha opinião trazem espectáculo e emoção à prova. 

À partida para esta derradeira corrida da Taça de Portugal já tinha assegurada a vitória no ranking Master 40, mas procurei sempre andar o mais depressa possível e assim tentar fazer o pleno de vitórias nesta competição, 
coisa que felizmente acabei por conseguir depois de uma corrida bastante sólida,  onde consegui encontrar um bom ritmo que me permitiu ir ganhando tempo aos perseguidores. 

Mais uma vez a Boone esteve fenomenal e só tenho de agradecer à Teknovelo e à Trek por me colocarem nas mãos uma máquina deste calibre e agradecer também a todos pelo grande apoio ao longo da prova.


Classificação Master 40


Ranking Final Taça de Portugal Ciclocrosse Master 40


quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Próxima corrida: Taça de Portugal Ciclocrosse #5 - Paços de Ferreira


Local:
Parque Urbano Paços de Ferreira
GPS: N41º16.395 W008º22.503

Circuito:
Extensão: 

Programa:

Domingo, 29 Dezembro

08h00 - Abertura Secretariado
09h00 - Encerramento da confirmação de inscrições
09h10 - Reunião Directores Desportivos
09h30 - Juvenil
10h00 - Master 30, 40, 50, 60, Open
11h00 - Cadete, Todas as categorias Femininas
12h00 - Elite, Sub-23, Junior
13h15 - Entrega de prémios

domingo, 15 de dezembro de 2019

Superliga Ciclocrosse #2 - 1º Ciclocrosse Vila Boa de Quires e Maureles

A segunda prova da Superliga de Ciclocrosse da Associação de Ciclismo do Porto marcou a estreia da união de freguesias de Vila Boa de Quires e Maureles na realização de provas da vertente invernal do Ciclismo, numa organização liderada por Jorge Magalhães, ciclista da W52/FC Porto que quando lhe foi lançado o desafio de organizar esta corrida, tratou de colocar "mãos à obra".

Sem muitas alternativas viáveis para servir de localização para a corrida, foi nos terrenos pertencentes à Pista de Motocrosse "Aldeia Rotativa" que se desenhou um traçado com cerca de 2200 metros de extensão, essencialmente marcado pelas exigentes subidas, mas também por algumas descidas alucinantes e uma longa secção de escadas com 25 degraus!

Foi numa manhã de verdadeiro inverno que o evento acabou por decorrer, com a chuva a não dar tréguas, mas com todos os atletas a darem o seu melhor em prova e o resultado acho que acabou por ser uma manhã digna de Ciclocrosse, que a organização espera dar continuidade no futuro tentando melhorar aspectos que não tenham corrido tão bem, mas que com a experiência e a vontade de fazer melhor, as coisas seguirão seguramente no melhor rumo.

Foto: Cristina Sousa
Acabei por me envolver pessoalmente na ajuda ao Jorge, dando algumas sugestões para o percurso, tentando transmitir a minha visão sobre alguns aspectos a que um circuito de Ciclocrosse deve corresponder e no final, pelas opiniões que fui ouvindo, julgo que no geral o percurso foi do agrado da maioria dos participantes, apesar da sua dureza, mas naquele local, não será muito fácil fazer um traçado com muito menos exigência em termos de acumulado por volta, acabando mesmo por ser esse um dos aspectos diferenciadores deste circuito para outros que encontramos no calendário nacional.

Pessoalmente consegui fazer uma prova quase perfeita, sem grandes erros ou percalços, assumindo a liderança ainda durante a primeira volta e aos poucos tentando aumentar a vantagem para os perseguidores, que entretanto se foram envolvendo nalgumas lutas entre si.
Foi espectacular conseguir vencer esta prova, pois esta é actualmente a mais próxima de minha casa e onde pude sentir sempre muito apoio vindo do lado de fora das fitas ao longo das voltas.
Especial foi também no final ver o colega de equipa "Nelo" Monteiro, terminar na terceira posição, tendo andado até aos metros finais na luta pelo segundo com o Hélder Nogueira!

Foi sem duvida um grande dia para a nossa equipa Rompe Trilhos - Ajpcar e seus patrocinadores, pois além da minha vitória e terceiro lugar do Nelo nos Master 40, conseguimos também vencer nos Master 30 através do Augusto Midão e nos Master 50 com mais um triunfo do António Passos, que nos permitiu reforçar as respectivas lideranças nos rankings individuais desta Superliga de Ciclocrosse.

Galeria de Fotos

Classificação Master 40

Ranking Master 40 após 2ª prova

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

Próxima corrida: Superliga Ciclocrosse #2 - Vila Boa de Quires e Maureles


Local:
Pista de Motocross, Vila Boa de Quires, Marco de Canavezes
GPS: N41º12.048 W008º11.369

Circuito:
Extensão: 2,2km

Programa:

Domingo, 15 Dezembro

08h00 - Abertura Secretariado
09h00 - Encerramento da confirmação de inscrições
09h10 - Reunião Directores Desportivos
09h30 - Juvenil
10h00 - Master 30, 40, 50, 60, Open
11h00 - Cadete, Todas as categorias Femininas
12h00 - Elite, Sub-23, Junior
13h15 - Entrega de prémios

Reconhecimento circuito

domingo, 8 de dezembro de 2019

Taça de Portugal Ciclocrosse #4 - Vouzela

A Taça de Portugal de Ciclocrosse entrou na sua fase decisiva e em Vouzela tivemos a quarta prova da temporada, num regresso a um circuito onde nas duas anteriores edições da prova não tive grande sorte a acompanhar-me. No entanto desta vez não surgiram percalços e acabei por conseguir vencer a corrida e ao mesmo tempo assegurar a vitória final no ranking da Taça de Portugal!

Apresentando um circuito sem grandes alterações em relação ás edições anteriores (naquele local não será fácil fazer muito diferente) marcado pela elevada exigência técnica na condução e pelas muitas secções estreitas que tornam as ultrapassagens quase impossíveis em grande parte da extensão da pista, qualquer erro ou "engarrafamento" poderia revelar-se fatal para causar perdas de tempo, sendo também fundamental a gestão da mecânica da bicicleta, pois com duas zonas técnicas distintas corríamos o risco de ter de percorrer longas distâncias para fazer troca de bike no local onde estava a nossa assistência, facto que já havia experimentado nesta prova em 2016...

O dia clareou cinzento e bastante húmido, com a chuva a ameaçar aparecer a qualquer momento. Dado o sinal de partida, procurei colocar um bom ritmo desde inicio, tentando isolar-me e fazer uma prova regular, situação que felizmente consegui concretizar e assim venci a corrida e assegurei desde já os pontos necessários para enfrentar a derradeira corrida em Paços de Ferreira com a tranquilidade de saber que a vitória no ranking final da Taça de Portugal de Ciclocrosse Master 40 já está assegurada.

No segundo lugar em Vouzela acabou por terminar o espanhol Constantino Muñoz (Grupeta Pan de Zarico), que nos momentos finais da corrida acabou por ultrapassar o campeão nacional Afonso Ferreira (Individual), que assim foi o terceiro a cortar a linha de meta.

Obrigado equipa, patrocinadores e a tod@s pelo apoio!

Galeria de Fotos

Classificação Master 40

Ranking após a Taça de Portugal Ciclocrosse #4

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Próxima corrida: Taça de Portugal Ciclocrosse #4 - Vouzela


Local:
Alameda D. Duarte de Almeida
GPS: N40º43.314 W008º06.586

Circuito:
Extensão: 2,52km

Programa:

Domingo, 8 Dezembro

08h00 - Abertura Secretariado
09h00 - Encerramento da confirmação de inscrições
09h10 - Reunião Directores Desportivos
09h30 - Juvenil
10h00 - Master 30, 40, 50, 60, Open
11h00 - Cadete, Todas as categorias Femininas
12h00 - Elite, Sub-23, Junior
13h15 - Entrega de prémios

domingo, 1 de dezembro de 2019

Gran Prémio Ciudad de Pontevedra - Copa de Espanha Ciclocross

Aproveitando um pequeno interregno no calendário português de Ciclocrosse, viajamos até à Galiza, para voltar a disputar uma das provas pontuáveis para a Copa de Espanha da modalidade. O GP Ciudad de Pontevedra marcou o regresso do CX ao circuito da Ilha das Esculturas, palco que se estreou na temporada passada com o acolhimento do Campeonato Nacional Espanhol, e prepara-se agora para voltar a acolher a principal corrida do calendário nacional pelo segundo ano consecutivo, no próximo mês de Janeiro.

Tendo assumido publicamente há algum tempo que pretende acolher no futuro uma das provas da Taça do Mundo de Ciclocross, Pontevedra inscreveu este ano a prova no calendário internacional, na Categoria 2 UCI.

Desde Alcobendas, em 2015, que não participava numa prova da Copa de Espanha e foi bom poder voltar a este ambiente, agora em Pontevedra.

Na categoria Master 40 alinhamos cerca de 90 corredores, entre eles o Campeão Europeu Augustin Navarro Vidal, que recentemente revalidou o seu título em Silvelle e chegou a Pontevedra oriundo directamente da Bélgica, onde no sábado havia alcançado o quarto posto no mundial disputado em Mol. Era por isso um dos mais fortes candidatos à vitória nesta corrida, tendo acabado por confirmar esse favoritismo ao impor-se ao cabo das quatro voltas que tivemos de percorrer ao enlameado circuito, sendo seguido por José Rebollo (Enbici Grupo Selvage) e Andoni Media (Enkar BTT Clube Ciclista) que a 32 segundos da vitória disputaram entre si os segundo e terceiro lugares.

Ricardo Sasigain (Goierri Kirol Elkartea) chegou isolado no quarto posto, a 35 segundos, tendo depois chegado eu com mais 57 segundos que o vencedor.

Foi uma corrida em que parti da terceira linha e onde até reagi bem ao sinal de partida, mas depois tive um ligeiro equívoco nas primeiras curvas, que eram feitas de forma diferente ao circuito habitual e fiquei algo atrasado no meio da confusão do pelotão. Depois tive de fazer um esforço extra para me chegar aos lugares da frente e a meio da volta inicial já seguia na terceira posição mas novo ligeiro erro que quase resultou em queda a alta velocidade na lama me fez perder três posições e alguns segundos.
Depois fui tentando novamente chegar aos da frente, mas apenas consegui passar o Marco Prieto (ASAC), depois de duas voltas de bonita luta com este asturiano ex-campeão do mundo.

Regressei a casa satisfeito com a minha corrida, as sensações em prova e por poder voltar a sentir o ambiente envolvência que se vive numa Copa de Espanha.

Obrigado equipa e a tod@s pelo apoio! Foi muito bom ouvir palavras de incentivo em espanhol ao longo da corrida!


Classificação Master 40







domingo, 24 de novembro de 2019

Superliga Ciclocrosse #1 - Matosinhos

Foto: Eduardo Campos
A edição 2019/2020 da Superliga de Ciclocrosse da Associação de Ciclismo do Porto arrancou no Parque de Picoutos, numa organização a cargo do Clube BTT Matosinhos, que proporcionou um dia repleto de Ciclocrosse aos amantes da modalidade.
Para mim foi um inicio de Superliga extremamente positivo, tendo alcançado a vitória e assim assiumindo a liderança no ranking desta competição que ainda contará com mais duas provas.

Foto: Eduardo Campos
Nesta estreia em organizações de Ciclocrosse, o BTT Matosinhos desenhou um traçado bastante interessante no interior do Parque de Picoutos, caracterizado por alguns topos duros e zonas mais rápidas e técnicas, onde alguma lama formada pelas chuvas das ultimas semanas veio acrescentar mais exigência.

Na corrida de Master 40 alinhamos vinte e oito corredores à partida.
Dado o apito inicial, foi o Campeão Nacional Afonso Ferreira quem saiu na liderança depois da primeira viragem, seguindo Eduardo Fontes, José Ribeiro e Mário Fernandes na sua roda. 
Foto: Eduardo Campos
Eu seguia em quinto e aos poucos fui tentando chegar-me mais para a frente e subir algumas posições, chegando à liderança a meio da primeira volta.
Nessa altura fiquei na frente acompanhado apenas pelo Afonso, tendo-se aberto uma vantagem de alguns segundos sobre os perseguidores, até que finalmente consegui ficar isolado.
Seguiram-se cinco voltas onde consegui ir aumentando a vantagem, para conseguir  assim vencer a corrida e alcançar a pontuação máxima nesta corrida.
Foto: Eduardo Campos
No segundo lugar acabou por chegar o meu companheiro de equipa Manuel Monteiro, que assim se estreou de forma espectacular no pódio da Superliga, tendo o terceiro lugar ficado para o Afonso Ferreira.

Finalizada a prova, gostava de deixar os parabéns a todos os elementos que colocaram de pé este evento, cuja preparação fui acompanhando ao longo das ultimas semanas e onde pude
Foto: Eduardo Campos
constatar a enorme entrega e esforço para que esta fosse uma organização de sucesso, com uma divulgação como não se costuma ver no Ciclocrosse português. Um bem haja a todos e espero que no próximo ano possamos voltar a correr nesta prova.

Obrigado também à equipa e a tod@s que ao longo da corrida e à distância foram dando incentivo, bem como  à Teknovelo por mais uma vez me colocar nas mãos a Trek Boone a funcionar de forma imaculada, contribuindo também ela para o resultado final.


Classificação Master 40

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Próxima corrida: Superliga Ciclocrosse #1 - Matosinhos


Local:
Parque de Picoutos, S. Mamede de Infesta
GPS: N41º12.077 W008º37.023

Circuito:
Extensão: 2700m

Programa:

Domingo, 24 Novembro

08h00 - Abertura Secretariado
09h00 - Encerramento da confirmação de inscrições
09h10 - Reunião Directores Desportivos
09h30 - Juvenil
10h00 - Master 30, 40, 50, 60, Open
11h00 - Cadete, Todas as categorias Femininas
12h00 - Elite, Sub-23, Junior
13h15 - Entrega de prémios

domingo, 17 de novembro de 2019

Taça de Portugal Ciclocrosse #3 - Bragança

Foto: UVP-FPC
A temporada de Ciclocrosse está prestes a entrar na segunda metade do calendário e em Bragança tivemos a terceira das cinco provas da Taça de Portugal.
Foi numa manhã de bastante frio e com alguma chuva que disputamos esta corrida, num circuito que tal como no ano passado se apresentou bastante escorregadio nalgumas zonas.

Foto: Clara Moura
Ainda antes de falar da minha corrida propriamente dita, gostava de deixar um pensamento sobre uma situação que vou verificando nas corridas no nosso país, que julgava que com o passar dos anos, com a experiência de todos os intervenientes na modalidade, e com a cada vez maior divulgação de imagens das melhores provas internacionais que semana após semana nos chegam, iria mudar, mas que infelizmente vejo repetir-se sucessivamente, em prejuízo, na minha opinião, de um melhor espectáculo que o Ciclocrosse é capaz de nos dar. Falo concretamente da construção dos circuitos.
Todos nós adoramos ver as corridas belgas, holandesas, checas, suíças, francesas... Provas onde realmente "se anda", claro que muito porque os intervenientes em pista são de grande qualidade, mas também porque têm um "palco" à altura, que não "obriga" a corridas "acanhadas" e na "retranca" por falta de espaço para haver uma prova de constante ataque.
Foto: UVP-FPC
Se em Santo Tirso já se tinha verificado um pouco essa situação, em Bragança tal agravou-se ainda mais, e seguramente não foi por falta de espaço nos recintos onde as provas se disputaram.
Três metros é a largura MINIMA que o regulamento da modalidade exige para um circuito de Ciclocrosse, mas se este tiver quatro, cinco ou mais, garanto-vos que o espectáculo será ainda maior, pois deixaremos de ter corridas de "filinha indiana", de constante trajectória única, onde é difícil fazer uma ultrapassagem, para haver uma prova mais aberta, com mais velocidade em pista e isso é bom para todos! Para quem vê a corrida, que tem um melhor espectáculo, e para quem está em cima da bicicleta, que seguramente se diverte ainda mais!
Fica o meu desabafo...

Quanto à minha corrida, não fiz um bom arranque, mas aos poucos fui conseguindo recuperar posições, chegando à liderança pouco depois, mas infelizmente tive um pequeno percalço com o guiador da bicicleta que forçou a duas passagens pela zona técnica para trocar de bicicleta e com isso atrasei-me bastante nas duas primeiras voltas.
Foto: Cristina Sousa
Resolvida a situação consegui encontrar um bom ritmo e aos poucos fui recuperando posições e tempo para o líder, José Pazos, que ia bastante forte. Consegui alcança-lo já dentro da volta final e aproveitando um erro dele na entrada da primeira das duas escadarias, passei para a frente e daí em diante dei o máximo até à meta, vencendo e reforçando assim a liderança no ranking da Taça de Portugal.
O José Pazos (CC Chantadino) foi então segundo e o Campeão Nacional, Afonso Ferreira chegou na terceira posição.

Fica o agradecimento ao Paulo Silva pela ajuda fulcral no momento em que se deu o problema com o guiador e ao staff da grande equipa Rompe Trilhos / Ajpcar, sempre incansável no apoio motivacional ao longo da prova! Obrigado Cristina e Clara!

Após a disputa das três primeiras provas, a Taça de Portugal de Ciclocross regressa apenas em Dezembro. Até lá, damos inicio à Superliga de Ciclocrosse da Associação de Ciclismo do Porto, já no próximo fim de semana, em Matosinhos.



Classificação Master 40



quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Próxima corrida: Taça de Portugal Ciclocrosse #3 - Bragança


Local:
Campus Instituto Politécnico de Bragança

Programa:

08h00 - Abertura Secretariado
09h00 - Encerramento da confirmação de inscrições
09h10 - Reunião Directores Desportivos
09h30 - Juvenil
10h00 - Master 30, 40, 50, 60, Open
11h00 - Cadete, Todas as categorias Femininas
12h00 - Elite, Sub-23, Junior
13h15 - Entrega de prémios