quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Próxima corrida: Gran Premio Ciudad de Pontevedra


Local:
Ilha das Esculturas, Pontevedra
GPS: N42º26.365 W008º38.281

Circuito:

Programa:




domingo, 24 de novembro de 2019

Superliga Ciclocrosse #1 - Matosinhos

Foto: Eduardo Campos
A edição 2019/2020 da Superliga de Ciclocrosse da Associação de Ciclismo do Porto arrancou no Parque de Picoutos, numa organização a cargo do Clube BTT Matosinhos, que proporcionou um dia repleto de Ciclocrosse aos amantes da modalidade.
Para mim foi um inicio de Superliga extremamente positivo, tendo alcançado a vitória e assim assiumindo a liderança no ranking desta competição que ainda contará com mais duas provas.

Foto: Eduardo Campos
Nesta estreia em organizações de Ciclocrosse, o BTT Matosinhos desenhou um traçado bastante interessante no interior do Parque de Picoutos, caracterizado por alguns topos duros e zonas mais rápidas e técnicas, onde alguma lama formada pelas chuvas das ultimas semanas veio acrescentar mais exigência.

Na corrida de Master 40 alinhamos vinte e oito corredores à partida.
Dado o apito inicial, foi o Campeão Nacional Afonso Ferreira quem saiu na liderança depois da primeira viragem, seguindo Eduardo Fontes, José Ribeiro e Mário Fernandes na sua roda. 
Foto: Eduardo Campos
Eu seguia em quinto e aos poucos fui tentando chegar-me mais para a frente e subir algumas posições, chegando à liderança a meio da primeira volta.
Nessa altura fiquei na frente acompanhado apenas pelo Afonso, tendo-se aberto uma vantagem de alguns segundos sobre os perseguidores, até que finalmente consegui ficar isolado.
Seguiram-se cinco voltas onde consegui ir aumentando a vantagem, para conseguir  assim vencer a corrida e alcançar a pontuação máxima nesta corrida.
Foto: Eduardo Campos
No segundo lugar acabou por chegar o meu companheiro de equipa Manuel Monteiro, que assim se estreou de forma espectacular no pódio da Superliga, tendo o terceiro lugar ficado para o Afonso Ferreira.

Finalizada a prova, gostava de deixar os parabéns a todos os elementos que colocaram de pé este evento, cuja preparação fui acompanhando ao longo das ultimas semanas e onde pude
Foto: Eduardo Campos
constatar a enorme entrega e esforço para que esta fosse uma organização de sucesso, com uma divulgação como não se costuma ver no Ciclocrosse português. Um bem haja a todos e espero que no próximo ano possamos voltar a correr nesta prova.

Obrigado também à equipa e a tod@s que ao longo da corrida e à distância foram dando incentivo, bem como  à Teknovelo por mais uma vez me colocar nas mãos a Trek Boone a funcionar de forma imaculada, contribuindo também ela para o resultado final.


Classificação Master 40

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Próxima corrida: Superliga Ciclocrosse #1 - Matosinhos


Local:
Parque de Picoutos, S. Mamede de Infesta
GPS: N41º12.077 W008º37.023

Circuito:
Extensão: 2700m

Programa:

Domingo, 24 Novembro

08h00 - Abertura Secretariado
09h00 - Encerramento da confirmação de inscrições
09h10 - Reunião Directores Desportivos
09h30 - Juvenil
10h00 - Master 30, 40, 50, 60, Open
11h00 - Cadete, Todas as categorias Femininas
12h00 - Elite, Sub-23, Junior
13h15 - Entrega de prémios

domingo, 17 de novembro de 2019

Taça de Portugal Ciclocrosse #3 - Bragança

Foto: UVP-FPC
A temporada de Ciclocrosse está prestes a entrar na segunda metade do calendário e em Bragança tivemos a terceira das cinco provas da Taça de Portugal.
Foi numa manhã de bastante frio e com alguma chuva que disputamos esta corrida, num circuito que tal como no ano passado se apresentou bastante escorregadio nalgumas zonas.

Foto: Clara Moura
Ainda antes de falar da minha corrida propriamente dita, gostava de deixar um pensamento sobre uma situação que vou verificando nas corridas no nosso país, que julgava que com o passar dos anos, com a experiência de todos os intervenientes na modalidade, e com a cada vez maior divulgação de imagens das melhores provas internacionais que semana após semana nos chegam, iria mudar, mas que infelizmente vejo repetir-se sucessivamente, em prejuízo, na minha opinião, de um melhor espectáculo que o Ciclocrosse é capaz de nos dar. Falo concretamente da construção dos circuitos.
Todos nós adoramos ver as corridas belgas, holandesas, checas, suíças, francesas... Provas onde realmente "se anda", claro que muito porque os intervenientes em pista são de grande qualidade, mas também porque têm um "palco" à altura, que não "obriga" a corridas "acanhadas" e na "retranca" por falta de espaço para haver uma prova de constante ataque.
Foto: UVP-FPC
Se em Santo Tirso já se tinha verificado um pouco essa situação, em Bragança tal agravou-se ainda mais, e seguramente não foi por falta de espaço nos recintos onde as provas se disputaram.
Três metros é a largura MINIMA que o regulamento da modalidade exige para um circuito de Ciclocrosse, mas se este tiver quatro, cinco ou mais, garanto-vos que o espectáculo será ainda maior, pois deixaremos de ter corridas de "filinha indiana", de constante trajectória única, onde é difícil fazer uma ultrapassagem, para haver uma prova mais aberta, com mais velocidade em pista e isso é bom para todos! Para quem vê a corrida, que tem um melhor espectáculo, e para quem está em cima da bicicleta, que seguramente se diverte ainda mais!
Fica o meu desabafo...

Quanto à minha corrida, não fiz um bom arranque, mas aos poucos fui conseguindo recuperar posições, chegando à liderança pouco depois, mas infelizmente tive um pequeno percalço com o guiador da bicicleta que forçou a duas passagens pela zona técnica para trocar de bicicleta e com isso atrasei-me bastante nas duas primeiras voltas.
Foto: Cristina Sousa
Resolvida a situação consegui encontrar um bom ritmo e aos poucos fui recuperando posições e tempo para o líder, José Pazos, que ia bastante forte. Consegui alcança-lo já dentro da volta final e aproveitando um erro dele na entrada da primeira das duas escadarias, passei para a frente e daí em diante dei o máximo até à meta, vencendo e reforçando assim a liderança no ranking da Taça de Portugal.
O José Pazos (CC Chantadino) foi então segundo e o Campeão Nacional, Afonso Ferreira chegou na terceira posição.

Fica o agradecimento ao Paulo Silva pela ajuda fulcral no momento em que se deu o problema com o guiador e ao staff da grande equipa Rompe Trilhos / Ajpcar, sempre incansável no apoio motivacional ao longo da prova! Obrigado Cristina e Clara!

Após a disputa das três primeiras provas, a Taça de Portugal de Ciclocross regressa apenas em Dezembro. Até lá, damos inicio à Superliga de Ciclocrosse da Associação de Ciclismo do Porto, já no próximo fim de semana, em Matosinhos.



Classificação Master 40



quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Próxima corrida: Taça de Portugal Ciclocrosse #3 - Bragança


Local:
Campus Instituto Politécnico de Bragança

Programa:

08h00 - Abertura Secretariado
09h00 - Encerramento da confirmação de inscrições
09h10 - Reunião Directores Desportivos
09h30 - Juvenil
10h00 - Master 30, 40, 50, 60, Open
11h00 - Cadete, Todas as categorias Femininas
12h00 - Elite, Sub-23, Junior
13h15 - Entrega de prémios

sábado, 9 de novembro de 2019

UEC Cyclocross Masters European Championships - Silvelle

Foto: UEC
Ausente de participação em Campeonatos da Europa desde 2014, este ano regressei ao evento principal de Ciclocrosse da Union Européenne de Cyclisme.
A prova decorreu na localidade italiana de Silvelle di Trebaseleghe, de onde regressei com um quinto lugar a categoria Master 40-44 depois de uma corrida com as mais difíceis condições que realizei até hoje!

O Ciclocrosse em Silvelle tem uma enorme tradição com mais de quarenta anos desde a primeira edição, e por lá já passaram vários dos grande nomes internacionais da modalidade. 
Este ano, as condições atmosféricas tornaram o traçado com cerca de 2700 metros de extensão num autêntico lamaçal, obrigando a uma corrida extremamente lenta e fisicamente avassaladora, pois cerca de 80% do percurso era feito com a bicicleta no ombro, tal era a quantidade de lama que nos impedia de progredir a pedalar.

Foto: UEC
Alinhamos quarenta e quatro corredores, de onze nacionalidades.
Parti bastante bem e apesar da confusão do "trânsito" nos momentos iniciais, desde cedo que rodei dentro dos cinco primeiros, tendo andado em quarto durante mais de uma volta, mas não deu para aguentar essa posição até ao final... O ritmo dos da frente ia fortíssimo e numa prova com estas características, fazer trocas de bicicleta era muito importante, tal a quantidade de lama que se acumulava. Mas, com logística reduzida, tal não foi possível e houve que fazer uma boa gestão da máquina para conseguir chegar ao final da prova. 
Felizmente a Trek Boone aguentou toda a dureza, sempre a funcionar, apesar da carga extra de lama que transportava, que a deixava quase com o dobro do peso!

Foto: Leonor Marques
Os meus parabéns ao Augustin Navarro Vidal pela sua justa revalidação do título europeu e ao Raul Ballester e Pius Stuckl pelas medalhas de prata e bronze respectivamente.

Este quinto lugar final foi assim o meu melhor resultado de sempre em provas deste calibre e neste momento não posso deixar de agradecer a todos aqueles que de uma ou outra forma contribuem para que seja possível estar a competir neste nível.
Foi a primeira vez que tive a companhia nestas aventuras internacionais da Leonor e da Marisa e isso é sempre um factor extra de motivação e só lhes posse estar grato por todo o apoio que dia-a-dia me dão e pela compreensão em muitas ausências que tenho.
Um grande agradecimento também é Teknovelo, Trek e Bontrager por me colocarem a Trek Boone sempre impecável e para que nada me falte.
Obrigado amigo Miguel Moura pela orientação nos treinos e equipa "família" Rompe Trilhos - Ajpcar e patrocinadores pelo apoio.
Foi também muito bom sentir o apoio e entreajuda da restante "comitiva" portuguesa, composta pelo companheiro de sempre nestas aventuras António Moreira e Paula Costa e ainda pelo Campeão Nacional Afonso Ferreira e pelo Marc Duarte. Obrigado amigos!

Agora é tempo de voltar a centrar as atenções nas corridas em Portugal, pois já no próximo fim de semana temos a terceira prova da Taça de Portugal, a disputar no Campus do IPB em Bragança.



Classificação Master 40-44


domingo, 3 de novembro de 2019

Taça de Portugal Ciclocrosse #2 - Santo Tirso

Foto: Eduardo Campos
O Parque Sara Moreira, em Santo Tirso, acolheu a segunda prova da Taça de Portugal de Ciclocrosse 2019/2020. Depois de um início de temporada em Melgaço com tempo seco e piso rápido, na "capital dos jesuítas" a chuva apareceu e assim tivemos um crosse enlameado e bastante técnico. 

Em Master 40 alinhamos cerca de vinte e cinco corredores, com o campeão nacional Afonso Ferreira e o Mário Fernandes a assumirem a frente de corrida nos primeiros momentos. Eu seguia na terceira posição, até que na passagem pelas tábuas assumi a liderança da corrida e tentei colocar o meu ritmo. 
Foto: UVP - FPC
Aos poucos fui aumentando a diferença para os perseguidores, conseguindo fazer uma prova isenta de percalços e assim somar a segunda vitória em duas possíveis nesta competição até ao momento, reforçando a liderança no ranking. Na segunda posição terminou o Afonso Ferreira ( Individual) seguido pelo espanhol José Pazos (CC Chantadino). 

Tal como já havia publicamente referido, as minhas suspeitas sobre os excessivamente reduzidos tempos de corrida continuam a confirmar-se, e desta vez tivemos uma corrida com apenas 36 minutos de duração, muito longe dos 45 regulamentados mas que
Foto: UVP - FPC
infelizmente as equipas de comissários não têm tido capacidade de implementar... Nesta prova poderíamos ter dado mais uma volta e mesmo assim não se tinha excedido o tempo máximo.

Agora as atenções voltam-se para o Campeonato Europeu, que se realiza no próximo sábado em Silvelle, Itália. 

A Trek Boone voltou a ser aquela fantástica máquina em prova, mesmo com as difíceis condições de terreno que tivemos. 

Obrigado equipa, patrocinadores e a tod@s pelo apoio!

Galeria de Fotos

Classificação Master 40